IDENTIFICAÇÃO E OCORRÊNCIA DE LER/DORT EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Josinélia Matias Gomes, Daniella De Souza Barbosa, Rodrigo Silva Perfeito

Resumo


RESUMO

Os distúrbios osteomioarticulares relacionados ao trabalho afetam uma grande parte dos profissionais da saúde, tendo em vista os vários movimentos repetitivos e os vícios posturais adotados durante as extensas horas de trabalho. Pensando neste problema, este artigo teve como objetivo a análise dos fatores de riscos ocupacionais associados à ocorrência de LER/DORT entre os profissionais da saúde. A metodologia foi de caráter descritivo, transversal e qualitativo e contou com uma amostra de 11 profissionais da saúde que trabalhavam na rede privada. Destes, 63,6% eram do sexo feminino, com idade média de 31 anos, de etnia branca (54,4%), destros e 81,5% ganhavam de 05 a 10 salários mínimos. Diante dos resultados observou-se que 100% da amostra se queixavam de dor em diversas áreas corporais influenciada pelas condições de trabalho e falta de intervenção preventiva. Este fato nos leva a concluir que é preciso revolucionar o ambiente de trabalho do profissional da saúde, uma vez que fica claro que os fatores de riscos ergonômicos contribuem para a ocorrência de LER/DORT em tais profissionais, sendo de grande importância a inserção de hábitos preventivos, ou em distúrbios já instalados, a Fisioterapia do Trabalho.

 

Palavras-chave: Profissionais da saúde; LER/DORT; Ergonomia;

 

 ABSTRACT

Work-related osteomioarticular disorders affect a large part of health care workers, given the various repetitive movements and postural defects adopted during long hours of work. Thinking about this problem, this article aimed to analyze the occupational risk factors associated with the occurrence of RSI/WRMD among health professionals. The methodology was descriptive, transversal and qualitative, and included a sample of 11 health professionals who worked in the private network. Of these, 63.6% were female, with an average age of 31, white (54.4%), right-handers and 81.5% earned from 05 to 10 minimum wages. In view of the results, it was observed that 100% of the sample complained of pain in several body areas influenced by the working conditions and lack of preventive intervention. This fact leads us to conclude that it is necessary to revolutionize the work environment of the health professional, since it is clear that ergonomic risk factors contribute to the occurrence of RSI/WRMD in such professionals, being of great importance the insertion of habits preventive, or in already installed disorders, the Physiotherapy of the Work.

 

Keywords: Health professionals; RSI/WRMD; Ergonomics;


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

AGUIAR, C; NEVES, F; ARAÚJO, M. O ambiente e as doenças do trabalho: percepção dos principais sintomas de desconforto/dor, relacionados aos aspectos ergonômicos. Rev. Tecnologia & Informação, ano 1, n.1, nov. 2013.

ANDRADE, A. LER: uma visão da doença. Rev. Fenacon, v.54, n.17, p.20-39, 2000.

BARROS, O. PTO: posto de trabalho odontológico. Maringá: Editora Dental Press, 2006

BARBOSA, L. Fisioterapia Preventiva nos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho – DORT’s: A Fisioterapia do trabalho aplicado. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

BURGOS, L et al. Efeitos de um programa de ginástica laboral sobre indicadores de saúde e dor corporal em trabalhadores de um hospital de ensino do Rio Grande do Sul. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 18, p. 363-368, dez. 2017.

DALE, A; DIAS, M. A ‘extravagância’ de trabalhar doente: o corpo no trabalho em indivíduos com diagnóstico de LER/DORT. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 263-282, Apr. 2018.

FRANZ, E; CARGNIN, M. Agravos relacionados com o trabalho notificados no sistema de informações em saúde do trabalhador. Cogitare Enferm. (23)2: e52345, 2018.

GRAÇA, C; ARAÚJO, T; SILVA, C. Prevalência de dor musculoesquelética em cirurgiões-dentistas. Rev Baiana Saúde Pública, v.30, n.1, p.59-76, 2006.

KROEMER, K; GRANDJEAN, E. Manual da Ergonomia: adotando o trabalho ao homem. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

LIMA, F; NOGUEIRA, R. A efetividade do programa de ginástica laboral. Revista de Administração de Roraima - RARR, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 297-309, feb. 2018.

MAERINS, A; PEREIRA, R; FERREIRA, E. Adesão a protocolo pós-exposição ocupacional de acidentes entre cirurgiões-dentistas. Rev.Saúde Pública, n.3, p.234-245, 2009.

MELO, C. Doenças ocupacionais com ênfase a LER/DORT. [Monografia de Especialização]. 2003. Disponível em: . Acesso em 09 set. 2017.

MIRANDA, T; FREITAS, V; PEREIRA, E. Equipamento de apoio para membros superiores: uma nova proposta ergonômica. Rev bras odontol, v.59, n.5, Set/Out, p.338-40, 2002.

NUNES, M; FREIRE, M. Qualidade de vida de cirurgiões-dentistas que atuam em um serviço público. Rev. Saúde Pública, v.40, n.6, 2006.

PALMEIRA, A; CHAVES, A. Experiência de enfermidade crônica: implicações do viver com adoecimento para o cotidiano de quem adoeceu. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde. 2018;7(1):38-48.

PATTON, M. Qualitative research and evaluation methods. Londres, Thousand Oaks: Sage Publications, 2002.

PEROVANO, D. Manual de metodologia cientifica para segurança pública e defesa social. Curitiba: Juruá, 2014.

REGIS FILHO, G; MICHELS, G; SELL, I. Lesões por esforços repetitivos/distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em cirurgiões-dentistas. Rev. Bras. Epidemiol, v. 9, n. 3, 2006.

RENNER, J. Prevenção de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Boletim da Saúde, Porto Alegre,v.19, 2006.

RIBEIRO, R; MARZIALE, M; MARTINS, J; GALDINO, M; RIBEIRO, P. Estresse ocupacional entre trabalhadores de saúde de um hospital universitário. Rev Gaúcha Enferm. 2018;39:e65127.

ROUQUAYROL, M. Epidemiologia & Saúde. MEDSI: Rio de janeiro, 1994.

SALES PERES, S. Sobre os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Rev.Cad. Saúde Pública. v 17, n 1. jan./ fev, 2001.

SATO, L. LER: objeto e pretexto para a construção do campo trabalho e saúde. Rev. Cadernos de Saúde Pública, v.17, n. 1, jan./fev. 2001.

SYMANSKA, J. Disorderes of the muscloskeltalsystem among dentists from the aspecto f ergonomic and prophylaxis. Ann Agric Environ Med., v.9, 2002.

TRINDADE, J. L. A. Biossegurança e os Riscos Ergonômicos em Relação à Mecânica Corporal do Profissional da Saúde. Textura, Revista da Universidade Luterana do Brasil. Canoas: ULBRA, n.4, 2001.

VALENÇA, J; ALENCAR, M. O afastamento do trabalho por dor lombar e as repercussões na saúde: velhas questões e desafios que continuam. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar; São Carlos Vol. 26, Ed. 1, (2018): 119-127.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia