CORPOS “GENERIFICADOS” E CENTRALIDADE DO GÊNERO MASCULINO NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: UM ESTUDO EM REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

Fábio Narduchi De Paula, Joaquim Humberto Coelho de Oliveira

Resumo


Um estudo envolvendo representações sociais acerca do corpo nas aulas de Educação Física escolar acabou por revelar representações “generificadas” dos corpos nessas aulas, seguindo uma lógica binária, e uma centralidade de gênero, especificamente, do gênero masculino, que serão objetos de análise e de interpretação do presente artigo. A fim de analisar e de interpretar os dados relacionados a esses aspectos advindos, imageticamente, do estudo, adotou-se o Método Documentário de análise e de interpretação de dados imagéticos, proposto por Ralf Bohnsack, e a Metodologia Qualiquantitativa do Discurso do Sujeito Coletivo, proposta por Lefèvre e Lefèvre. Pode-se entender uma representação social como forma de conhecimento socialmente elaborada e partilhada – no caso deste artigo, por alunos do Ensino Fundamental – tendo uma orientação prática e colaborando para a construção de uma realidade comum a um conjunto social. Assinalamos que uma atenção especial deve ser dada por parte dos professores de Educação Física escolar a tais aspectos encontrados, discutidos, pois, neste artigo, visto que as representações, dentre outras coisas, orientam as ações em sociedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia